O blog
Dizem que falar aos cotovelos é ruim. Dizem que expressar opinião é ótimo, em alguns casos. Unindo ambas as coisas essa pequena garota irá tentar defender as suas próprias opiniões rebeldes e muitas vezes sem causa, de coisas cotidianas, valhas ou às vezes inúteis; passando o tempo aqui, vendo as horas voarem e digitando descontroladoramente palavras aleatórias, porque isso sim é de sua estranha natureza.

Quem
Gabriela Andrade, uma senhorita com 23 anos vividos de misturas sentimentais, questões polêmicas, questionamentos insanos e utópicos sobre o mundo, englobados em torno de muitas confusões. Anseia por um futuro melhor, mas se saberá o que será do temido e exasperado amanhã?

Arquivo
06.09 / 07.09 / 08.09 / 09.09 / 10.09 / 11.09 / 12.09 / 01.10 / 02.10 / 03.10 / 04.10 / 08.10 / 09.10 / 10.10 / 11.10 / 12.10 / 01.11 / 02.11 / 03.11 / 04.11 / 05.11 / 07.11 / 08.11 / 09.11 / 01.12 / 02.12 / 03.12 / 04.12 / 07.12 / 09.12 / 03.13 / 07.13 / 11.13 / 01.14 / 01.15 / 02.15 / 03.15 / 07.15 / 01.17 / 09.17 / 10.17 /


E viva, em paz
Comentários (6) // quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Viaje nas águas do teu rio, ribeirinho. E sonhe com os cristalinos que brilham ao céu noturno, e te lançam os cobertores que aquecem o teu fechar de olhos, no descansar dum dia suado. Imagine as tuas crianças sorrindo à margem daquelas beiras. E repouse os teus pés junto às areias; contenha o pranto, prive-se do esvair... Vá, ribeirinho, o teu caminho seguir. Jamais lance fogo à natureza que te acolhe. Ó ribeirinho, se triste forme casulo no leito do rio que te embala e então, misture as tuas lágrimas com os pingos ao redor, são passageiros e corriqueiros, acredite. Durma ribeirinho, em paz, pequenino. Durma, pois o dia já se fora e teremos outro porvir.

O suposto fim perdeu-se nas necessidades próprias e já não é mais término; é, talvez, uma continuação. (:

Marcadores: , ,