O blog
Dizem que falar aos cotovelos é ruim. Dizem que expressar opinião é ótimo em alguns casos. Unindo ambas as coisas essa pequena garota irá tentar defender as suas próprias opiniões de coisas cotidianas, valhas ou às vezes inúteis; passando o tempo aqui, vendo as horas voarem e digitando descontroladoramente palavras aleatórias, porque isso sim é de sua natureza.

Quem
Gabriela Andrade, uma senhorita com 24 anos vividos de misturas sentimentais, questões polêmicas, questionamentos utópicos sobre o mundo, englobados em torno de muitas confusões. Anseia por um futuro melhor, mas se saberá o que será do temido e exasperado amanhã?

Arquivo
06.09 / 07.09 / 08.09 / 09.09 / 10.09 / 11.09 / 12.09 / 01.10 / 02.10 / 03.10 / 04.10 / 08.10 / 09.10 / 10.10 / 11.10 / 12.10 / 01.11 / 02.11 / 03.11 / 04.11 / 05.11 / 07.11 / 08.11 / 09.11 / 01.12 / 02.12 / 03.12 / 04.12 / 07.12 / 09.12 / 03.13 / 07.13 / 11.13 / 01.14 / 01.15 / 02.15 / 03.15 / 07.15 / 01.17 / 09.17 / 10.17 / 11.17 / 01.18 / 02.18 / 04.18 / 08.18 /


Encontrar-se
Comentários (2) // sábado, 9 de setembro de 2017

Telhados quebrados
atire a primeira pedra quem me calou.
De noite, à procura de respostas, andei.
Me perdi e vi que a pedra na minha mão estava
o tempo passava e eu permaneci parada.
Quem virei já não tinha os olhos brilhando,
não me reconheci em minha própria morada.

Era eu a responsável pela fuga da minha essência
a rotina me consumiu sem a minha anuência
minha arte virou exata e fria ciência.
Fui como foto grande, sem alegria, em porta-retrato pequeno
Tentei me encaixar e sufocada fiquei...

Até que o vento sereno bateu em meus cabelos
eu provei novamente a liberdade que tanto abdiquei,
e até este poeminha aqui publiquei.

Fonte da foto: neste link.