O blog
Dizem que falar aos cotovelos é ruim. Dizem que expressar opinião é ótimo em alguns casos. Unindo ambas as coisas essa pequena garota irá tentar defender as suas próprias opiniões de coisas cotidianas, valhas ou às vezes inúteis; passando o tempo aqui, vendo as horas voarem e digitando descontroladoramente palavras aleatórias, porque isso sim é de sua natureza.

Quem
Gabriela Andrade, uma senhorita com 24 anos vividos de misturas sentimentais, questões polêmicas, questionamentos utópicos sobre o mundo, englobados em torno de muitas confusões. Anseia por um futuro melhor, mas se saberá o que será do temido e exasperado amanhã?

Arquivo
06.09 / 07.09 / 08.09 / 09.09 / 10.09 / 11.09 / 12.09 / 01.10 / 02.10 / 03.10 / 04.10 / 08.10 / 09.10 / 10.10 / 11.10 / 12.10 / 01.11 / 02.11 / 03.11 / 04.11 / 05.11 / 07.11 / 08.11 / 09.11 / 01.12 / 02.12 / 03.12 / 04.12 / 07.12 / 09.12 / 03.13 / 07.13 / 11.13 / 01.14 / 01.15 / 02.15 / 03.15 / 07.15 / 01.17 / 09.17 / 10.17 / 11.17 / 01.18 / 02.18 / 04.18 / 08.18 /


Saudade
Comentários (7) // terça-feira, 30 de novembro de 2010

Havia relutância em meus pensamentos. Muitos queriam combater a sua presença e outros gritavam por tê-la perto. Queria ter-te aqui, mas fui com a maioria, com os olhos para trás. Estrelas eram carregadas por alguns neurônios meus, só que eu fingia que não as via porque elas sempre trazem recordações suas - e isso eu evitava com todas as minhas forças e fraquezas.
Liguei o rádio, música me distrai. Todavia passava justamente Aerosmith, justamente aquela canção que tocava quando nos conhecemos. Não perdi o rumo, pois ele sempre foi você... Apenas fiquei um pouco tonta. Talvez fiquei assim porque precisava de uma dose sua e não sabia. Necessitava ouvir o meu coração disparar por só receber lembranças suas, necessitava ver-te mesmo que por notas musicais que já ecoavam tristes em mim, necessitava de um drink seu só para maiores de 18 anos.
O fato é que isso está se assemelhando a um vício com vida própria e não é um bom sinal. Nunca sei o que fazer com crises de abstinência e por isso construo rehabs dentro de mim antes mesmo de tê-las. Mas e agora com esse meu medo de sentir, de denunciar-me, de viciar-me, de sofrer, de chorar, de viver, de sonhar e de amar?
Por enquanto, tudo o que preciso é fly away from here, away from here e perto de ti, perto de ti...

Entrelinhas: agora ao digitar este texto, cliquei na minha pasta de música que está em ordem aleatória e está tocando aquela música, sério mesmo. É, preciso realmente Fly away from here. ♫


Imagem: daqui

Marcadores: , ,