O blog
Dizem que falar aos cotovelos é ruim. Dizem que expressar opinião é ótimo em alguns casos. Unindo ambas as coisas essa pequena garota irá tentar defender as suas próprias opiniões de coisas cotidianas, valhas ou às vezes inúteis; passando o tempo aqui, vendo as horas voarem e digitando descontroladoramente palavras aleatórias, porque isso sim é de sua natureza.

Quem
Gabriela Andrade, uma senhorita com 24 anos vividos de misturas sentimentais, questões polêmicas, questionamentos utópicos sobre o mundo, englobados em torno de muitas confusões. Anseia por um futuro melhor, mas se saberá o que será do temido e exasperado amanhã?

Arquivo
06.09 / 07.09 / 08.09 / 09.09 / 10.09 / 11.09 / 12.09 / 01.10 / 02.10 / 03.10 / 04.10 / 08.10 / 09.10 / 10.10 / 11.10 / 12.10 / 01.11 / 02.11 / 03.11 / 04.11 / 05.11 / 07.11 / 08.11 / 09.11 / 01.12 / 02.12 / 03.12 / 04.12 / 07.12 / 09.12 / 03.13 / 07.13 / 11.13 / 01.14 / 01.15 / 02.15 / 03.15 / 07.15 / 01.17 / 09.17 / 10.17 / 11.17 / 01.18 / 02.18 / 04.18 /


Daquilo que aperta
Comentários (5) // quarta-feira, 27 de outubro de 2010

E, novamente estou aqui... com um punhado de lágrimas no bolso e o coração pingando entre os meus dedos. Toda doçura que esse amor poderia ter converteu-se em veneno ao meu viver. Não que eu simplesmente o quisesse ter, foi mais forte do que eu - confesso. Aliás, inevitável. Entrego a culpa ao meu cupido, que inimigo de mim se faz e pinta-me sentimentos egoístas: que só em mim querem existir. Quase toda a vida fora assim. Mas agora sinto medo, pois o meu “S” parece ter perdido o seu “2” e a minha panela, ficado sem tampa.
As esperanças ainda me rondam, sim. Disseram-me que o tarde demais e o nunca são iguais – só existem nos pensamentos cinzas de cada ser. Só que esse coração aperta muito e já não raciocina isso... é que ficou tarde demais para retomar a amizade, tarde demais para sorrir e, o nunca se aproxima quando o ignorar paira sobre nós. E é recíproco, pois o meu amor faz-se de tímido e desconhecido perante a outrem.
Por enquanto, seguirei caminhando e regando (deixando molhar o solo com os punhados de água que carrego nos bolsos), as flores do jardim da vida.




P.S.: perdi a fonte da imagem. Se alguém souber, por favor, avise-me. (:

Marcadores: , ,